PRÊMIO ENERGISA ARTES VISUAIS

Energisa

Márcio Sampaio – Poesia além do verso

Por Bartolomeu Campos de Queirós

Se pertence à ordem do visual, está no campo da leitura. Se passa pela carne, reside no espaço da poesia. Por ser assim, a obra de Márcio Sampaio é uma apurada escrita poética. Ao apropriar-se do mundo, ele o torna mais vasto por não ignorar a autonomia de sua desmedida fantasia. E dessa soma de corpo e fantasia – do vivido e do sonhado – ele registra em nós, ávidos leitores, um terceiro universo, que só adentramos recorrendo ao nosso imaginário. Diante da poesia desenhada por Márcio Sampaio, um diálogo cuidadoso e subjetivo se estabelece. É que passamos a nos perguntar desde quando tudo é real e desde quando tudo é ideal.

O artista, ao se ausentar e nos deixar sua obra como herança maior, inaugura em nós um horizonte solitário que somente com o nosso próprio olhar podemos desobscurecer. Mas o olhar acaricia a casca. O dentro das “coisas” só a fantasia alcança. Daí, ser a sua obra um convite para um profundo mergulho em nosso inesgotável imaginário.

Ao derramar cor, sombra, luz e proporção sobre suas construções, Márcio Sampaio se torna responsável pelo que provoca em nós de inquietações e surpreendências.

O que existe de humor, ironia, crítica ou subversão em seus escritos surge vestido de elaboradas técnicas, de refinada percepção, que confirmam a força da arte como elemento capaz de nos mobilizar usando das incertezas da dúvida. Suas metáforas nos desequilibram e nos convidam a exercer a cruel liberdade de ter que escolher entre “ou isso ou aquilo”, entre o riso e o espanto.

A obra de Márcio Sampaio é propícia a todos. Sem ter apenas os iniciados como destinatários, ela se faz um livro aberto com uma escritura que permite vários níveis de entendimentos. Sua produção é um exercício democrático e cumpre definitiva função social ao aproximar os fruidores e concorrer para que todos desejem dar corpo às fantasias que dormem na intimidade de cada um de nós.

Estar diante da obra de Márcio Sampaio é como percorrer uma livraria. Lugar em que grande parte do mundo, com suas incoerências e acertos, se encontra à disposição de todos. De todos aqueles que sabem que expressar as emoções que moram no nosso corpo é revelar dores e riscos, mas perseguindo sempre o desejo de deparar com a beleza. Só ela é capaz de apaziguar o desassossego do humano que pulsa em nós.


Voltar